domingo, 9 de julho de 2017

A Importância de Reconhecer a Própria Ignorância


Já ouviu falar, respeitável leitor, no Efeito Dunning Kruger? Não? Poxa, mas como você é burro mesmo! Mas tudo bem, estamos aqui pra resolver isso. Como sou um burro que está em tratamento, estamos no mesmo barco.

Efeito Dunning Kruger é um termo da literatura psicológica que  descreve o bizarro fenômeno de que - preste bastante atenção nisso - quanto menor é a  habilidade numa área, mais equivocado é o próprio juízo sobre a habilidade que se tem nessa área. Entendeu? Não, né? Deixa eu dizer denovo, mas de outra forma: quanto mais competentes somos numa área, mais competentes somos pra julgar nossas habilidades nessa àrea. Vamos deixar as coisas ainda mais claras? Vamos.

O efeito Dunning Kruger ocorre, por exemplo, quando uma pessoa que é muito ruim  em matemática se julga boa nesse assunto. Basicamente o que ocorre é que  o conhecimento dela sobre a área é tão precário que ela não consegue ter a dimensão correta dos níveis de dificuldade e dos melhores critérios pra se julgar as habilidades e inabilidades matemáticas. Assim, por não estar bem informada sobre como medir suas habilidades na área, ela faz um julgamento precário e acredita que é melhor do que realmente é. Por outro lado, se perguntarmos a um matemático competente, ele saberá julgar melhor o seu nível de habilidade, uma vez que, sendo mais competente e instruído, ele domina melhor o assunto.

O que esse fenômeno deixa óbvio é que nossos  julgamentos sobre nossas habilidades em uma dada área são prejudicados quando não dominamos bem essa dada área. Isso explica coisas pitorescas como o fato de um intelectual erudito como Olavo de Carvalho ter afirmado que  a Pepsi usa células de fetos abordados, sentença que foi minuciosamente analisada e desmistificada pelo doutror e vlogger Pirulla, o qual está muito mais informado sobre Biologia do que o sr. Olavo.

O fenômeno explica também o porque  dezenas de pessoas sem o menor talento musical participam de concursos na tv. Elas simplesmente não tem ideia do quanto são ruins naquela área, porque tem tão pouco domínio do assunto que não tem critérios musicais para julgar o próprio desempenho.

Por conta desse fenômeno, é extramemente importante entender que nós só devemos se atrever a julgar um assunto (ou levar a sério nosso julgamento) quando o tivermos explorado consideravelmente. Do contrário, estaremos fadados a achar que fizemos um bom juízo, quando na verdade nem tínhamos a capacidade pra isso.

É interessante notar que o efeito Dunning Kruger é a maior causa de comportamentos burros em todo o universo conhecido, afinal a esmagadora maioria dos macacos falantes  prefere julgar indiscriminadamente qualquer assunto, mesmo sem saber absolutamente nada a respeito.

Em suma, o efeito Dunning kruger pode ser resumido assim: quanto mais ignorantes somos sobre algo, mais ignorantes somos sobre nossa ignorância a respeito desse assunto. Em bom português, quanto mais burros, menos percebemos nossa burrice.
Portanto, se o amigo leitor  detectou sua burrice, e de forma milagrosa chegou até aqui, é porque é mais esperto do que imagina. Milhares mundo afora são tão burros que não chegam nem sequer a cogitar imaginativamente ou desconfiar que o sejam. Coisa terrível, eu sei.

Assim, caro leitor, recomendo que você adote a postura que em filosofia se chama Epoché e que, enquanto fica quieto, vá estudar o assunto e melhorar suas habilidades antes de sair dando pitaco e se julgar melhor  e mais preparado que alguém.


Obs: este texto é uma das dicas da minha série de postagens sobre Como Ficar Mais Inteligente Simplesmente Perdendo Alguns Hábitos Mentais. O título original dele é "Não julgue (ou não leve a sério seu julgamento) se você não tiver conhecimento e a habilidade necessária pra fazer um bom julgamento".